sexta-feira, 30 de julho de 2010

Prateleira em pinho

Foi desta prateleira, que eu falei à Isa, ainda há bocado. Não sei que acabamento lhe dar. Não me agrada a ideia de manter a cor do pinho. Também ainda nem sei onde a vou colocar. Um bom fim de semana a todos

Móvel batateiro e ceboleiro

Este post vem na sequência de um comentário que fiz no Lérias da Isa, ou melhor da Maria Isabel, que é o nome que eu gostaria de ter...ou então, Maria Teresa, Laura, mas não o meu. Nomes à parte,vou colocar aqui a solução que encontrei para arrumar as batatas e as cebolas, alimentos muito bons, que eu não dispenso, mas muito "chatinhos" de arrumar. Como não há nada específico no mercado a não ser aqueles carrinhos de rodas,nada práticos,nem nada bonitos, andei uns meses a tentar engendrar qualquer coisa que albergasse as minha indispensáveis batatas e cebolas. Num passeio de domingo,em Valença, entro numa casa de móveis de pinho, vejo a sapateira e voilá... surgiu a ideia. Expliquei o que pretendia, fizeram-se as alterações necessárias, pintei-o com uma cor bonita e lá está ele cumprindo na integra a sua função. Só tenho que aperfeiçoar o sistema de abertura da porta.Quando está muito cheio,a porta não se mantém aberta. Nada prático como se deve imaginar...

Porta - San Sebastian

Creio que esta porta se insere também no estilo Arte Nova. Em contexto urbano, é das portas mais originais que já vi e fotografei. Gosto do vitral e da sua forma oval.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Pormenores de porta, na rua Sá da Bandeira - Porto

Tirei estas fotografias,num belíssimo passeio ao Porto num sábado à tarde. Um dos muitos, com que eu e a minha filha nos presenteamos de vez em quando. Cumprimos o nosso ritual.Em primeiro lugar tomamos o nosso café no Majestic (gostava de aqui colocar o link do café mas não sei porquê não consigo) lugar de visita obrigatório para quem vem ao Porto.Depois,é o calcorrear das ruas da baixa ,que apesar de comercialmente depauperadas,quando comparadas com os Centros Comerciais têm, quanto a mim, um encanto especial. Mas voltemos aos pormenores da porta que acabei por não fotografar na sua totalidade.Não sou grande entendida em arte, mas parece-me que esta decoração é no estilo Arte Nova.Será? Este post, é também uma retribuição muito especial ao cumprimento que o Luís me dirigiu no seu didáctico e elegante Velharias,à Isa que se delícia com as minhas fotos e assim o afirma em alto e bom som e ao Manel que me presenteia com garbosos e sábios comentários.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Bilheteira

Desde sempre as loiças das Caldas exerceram grande fascínio sobre mim. Tenho algumas peças, mas todas actuais; umas compradas, na casa Rafael Bordalo Pinheiro no Porto, e outras na própria fábrica, nas Caldas da Rainha. Há uns anos comprei esta bilheteira num leilão on-line. É muito antiga e as fotografias não fazem justiça à sua beleza. Seguindo o conselho do Luís,vou colocar uma foto da marca que está impressa na pasta.Segundo percebo, daquilo que vou lendo, marcas impressas na pasta significam uma maior antiguidade da peça. Estou certa?

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Galo vermelho

Mais um galo.Este sem grande história. Comprei-o na feira de velharias de Braga, onde, já se percebeu,sou visita assídua. Gostei da cor vermelha e da pose altiva de verdadeiro rei da capoeira. Fez-me lembrar uma história que o meu pai nos contava quando éramos crianças e que era mais ou menos assim: A uma casa solarenga, em plena província, chega o fidalgo, vindo da capital. Grande azáfama e nervosismo. A criadagem corre perfilando-se junto à entrada principal. Na capoeira, os galináceos apercebem-se também da chegada do seu dono e senhor. O galo velho, o verdadeiro rei ( de carne dura e com poucas probabilidades de ir parar à panela) estica-se no seu poleiro e anuncia com voz possante segura: -Lá vem fidaaaalgo! O galo de meia idade,com algumas possibilidades de ser considerado "apto"para uma boa canja, receoso e inseguro pergunta a meia voz: - Ficará cá? Por fim,o jovem galo de carne tenra,e que, com quase toda a certeza seria escolhido para a canja do patrão, num fio de voz,e quase a desfalecer afirma: - Pobre de mim... Como criança tinha sempre pena do pobre franganito, por isso o meu pai compunha sempre a história, dizendo que no momento em que o frango ia ser apanhado pela cozinheira, descobriu um buraco na rede da capoeira, por onde se escapuliu, nunca mais tendo sido visto :))

domingo, 11 de julho de 2010

Porta em Folgosinho

Fotografia tirada em Folgosinho, concelho de Gouveia. Terra ainda muito genuína, com um centro muito interessante e cuidado. As suas ruas têm a particularidade de serem decoradas com painéis de azulejos onde estão inscritas quadras de cariz popular. A caminho do castelo (de que não gostei) reparei na particularidade desta(s) porta(s) Alma sensível, a de quem cuidou da reabilitação da casa a que pertence esta porta. Gostei da solução. Esbate a vulgaridade,da certamente, necessária porta nova. Subscreveria esta ideia numa casa minha.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Coche

Fotografia tirada no Centro de Memória de Vila do Conde. Gostei do enquadramento do coche, nas portas azuladas e das traves brancas do tecto(será que são de madeira?).

Banco no Tua

Se este banco estivesse novinho em folha, não teria certamente despertado a minha atenção.Não acho que as coisas devam estar descuidadas,ou que não devamos cuidar e preservar os equipamentos, mas o facto é que a marca do tempo nos objectos me atrai. Nesta banco, certamente já ninguém se sentará a descansar,ou esperará por alguém. Não centrei o banco propositadamente. Quis que constasse na foto o pequeno arbusto.